16 julho, 2012

Resenha - Estilhaça-me

Título: Estilhaça-me - Trilogia Estilhaça-me #1
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304
Ano: 2012
Gênero: Distopia

Sinopse: Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Quando comecei a ler o livro eu me senti sufocada com a situação de Juliette, nossa será que alguém realmente consegue ficar presa em um cubículo por tanto tempo e não enlouquecer.
O que aquele garoto estava fazendo ali junto dela, ele é conhecido, ele não pode ficar ali, mas assim como ela diz para ele ficar longe, esta dizendo a si mesma para tocá-lo, Juliette quer sentir o calor de um abraço que há tanto tempo não via nem falava com alguém.
A imagem do mundo retratado no inicio é de um lugar onde não há mais o brilho da vida, o sol aparece pouco, as arvores já não são mais verdes e os pássaros já não voam mais.
Deve ser horrível querer abraçar tocar e não poder. Adorei a parte que ela se compara com a gota da chuva.
Sempre me pergunto sobre as gotas de chuva.Gostaria de saber como estão sempre caindo, tropeçando nos próprios pés, quebrando as pernas e esquecendo-se de seus paraquedas, conforme tombam direto do céu rumo a um fim incerto. É como uma pessoa que está esvaziando os bolsos sobre a terra e parece não se importar com o destino do conteúdo que cai, que parece não se importar com o fato de que as gotas de chuva estouram quando atingem o solo, de que elas se estilhaçam quando chegam ao chão, de que as pessoas amaldiçoam os dias em que as gotas ousam tocar sua porta.Sou uma gota de chuva.Meus pais esvaziaram seus bolsos de mim e deixaram-me evaporar sobre uma laje de concreto.
Eu to me perguntando que maldição dom é esse que ela tem. Será que ela vai fazer o que o exercito quer.
Eles são levados para o quartel do Restabelecimento, querendo usar o seu poder, porém ela não aceita, pois pensa que não foi feita para participar do lado “negativo” dessa guerra.
Quando eles descrevem o que o Restabelecimento quer fazer, logo lembrei do holocausto, o desejo (a procura) da raça pura.
Sem mais imaginações perigosas, sem mais remédios controlados. Uma nova geração composta apenas por indivíduos saudáveis iria nos sustentar. Os doentes devem ser trancafiados. Os velhos devem ser descartados. Os problemáticos devem ser abandonados em manicômios. Apenas os fortes devem sobreviver.
Ela está determinada a não colaborar com essa guerra e tem um aliado que é o seu companheiro de cela, ele na verdade estava procurando por ela e vai fazer de tudo para ajudá-la a sair do lado “negativo” da guerra.
Bom, ela finalmente acaba conhecendo pessoas que são também diferentes assim como ela e agora ela se sente pronta para lutar do lado “positivo” da guerra.


Quero dizer que vou colocar minha opinião com relação ao livro e respeito à opinião de todos que leram.
O livro não me conquistou a ponto de querer ler os outros que estão por vir. Ele não é o tipo de leitura que eu procuro, mas mesmo assim li até o fim e sinceramente não me agradou, me senti no meio da Escola do Prof. Xavier (X-Men) e depois me vi falando com um dos integrantes do quarteto fantástico. Como disse respeito à opinião e a visão dos outros leitores, mas essa foi minha visão quando cheguei aos capítulos finais.

7 comentários

  1. Olá, tem selinho no blog pra vc!
    http://osamantesdaleitura.blogspot.com.br/2012/07/selinho-esse-blog-e-meu-novo-vicio.html

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, eu já estava louca por esse livro, a capa me encanta *-*
    Poxa ficar trancada em uma cela sozinha deve ser bem ruim, mas ficar trancada com alguém quando não se pode tocar ninguém deve ser pior!

    Essa é minha primeira vez no blog, adorei e Já tó seguindo ;)
    Se quiser passar no meu, seguir e comentar tbm eu vou amar!

    http://falleninme.blogspot.com/
    -PatyScarcella

    ResponderExcluir
  3. Ele é bem X-man mesmo.
    Mas eu curti bastante.

    Ele é uma distopia. E eu amo todo tipo de distopia.

    Eu entendi o que vc disse. E ainda bem que as pessoas tem gostos diferentes. Seria muito chato sermos todos iguais, né?!!

    Amei tudo!

    Bjks

    ResponderExcluir
  4. Estou louca pra ler esse livro, além da história parecer excelente, a capa é maravilhosa! Ele já está na minha wishlist *-*

    ResponderExcluir
  5. Estou para ler esse livro, já fazem meses! Minhas amigas que leram, dizem que é ótimo... Ah história é muito legal, pq não dá para imaginar não poder ser tocada por ninguém, é bastante estranho!

    ResponderExcluir
  6. Que pena que você não gostou, eu simplesmente amei esse livro!! E eu também adoro os x-man, o que eu acho que favoreceu minha visão do livro :p Bom, mas cada um tem uma visão diferente né ^^ Do mesmo jeito adorei seu blog!! Já estou seguindo!!

    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Minhas amigas leram e falaram que era muito bom, mas sempre fico com um pé atras. Não é a primeira resenha que eu leio que o leitor não gosta do livros :/ Costumo sempre dá uma chance a todos livros, então vou encarar, se eu não gostar vai para a lista de trocas :D

    ResponderExcluir

Olá!!!
Obrigada pela visita.
Sua opinião é muito importante para mim.
Deixe o link do seu blog ou site para eu retribuir a visita.
Beijos Lizi